Headhunters e Redes Sociais

A matéria começa com a seguinte frase: Você compartilha em excesso ou é um ser quase invisível nas redes sociais? Os caçadores de talentos precisam compreender o comportamento social que melhor se adapta ao empregador.

Não é uma questão de democracia ou de privacidade, a verdade é que as empresas e caçadores de talentos após encontrar seu potencial candidato fazem uma busca pelas redes sociais para entender seu perfil, seu estilo de vida e se suas ações e caráter são compatíveis com a missão da empresa e requisitos da vaga.

Na pratica, muitas vezes o candidato nem fica sabendo, apenas recebe informação de que não foi escolhido para a vaga.

Muitos jovens questionam se não seria o caso de invasão de privacidade, mas a questão é que não há o que se falar em privacidade se tais informações estão abertas na rede e principalmente se foram publicadas pela própria pessoa. O que está na rede é aberto e pode ser visto por toda e qualquer pessoas que tenha acesso à internet, a não ser que esteja em plataforma protegida por controles de segurança, o mais comum seria o uso de senha.

A internet tem uma dinâmica que por enquanto não permite o direito ao esquecimento, ou seja, o que foi publicado se propaga em tamanha grandeza que seria negligencia afirmar que qualquer conteúdo poderia ser eliminado 100%. Caiu na rede não há mais controle e pode ser uma arma contra você no presente ou no futuro, sem contar que muitas vezes situações constrangedoras acabam por afetar também a família daqueles que se foram expostos na internet.

Leia materia da InformationWeek – http://informationweek.itweb.com.br/13831/redes-sociais-o-que-os-headhunters-devem-filtrar/